Advogado acusa ator da Globo de vender ingressos falsos na Rio 2016

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Murilo Rosa acabou se envolvendo em uma polêmica durante os Jogos Olímpicos Rio 2016. O ator está sendo acusado por um advogado, que prefere não se identificar, de ter vendido dois ingressos falsos para a final do futebol masculino da Olimpíada, neste sábado (20). Em entrevista ao jornal Extra, o curitibano conta que pagou R$ 1,5 mil pelas entradas da partida, que deu a medalha de ouro ao Brasil contra a Alemanha.

O valor impresso em cada ingresso era de R$ 700, mas o advogado contou que Murilo Rosa queria R$ 300 a mais em cada bilhete. “Meu filho tinha o sonho de ver a seleção de perto e, mesmo sem ingresso, fomos até o Maracanã tentar comprar alguma entrada. Estávamos na fila do portão B, quando me disseram que o ator estava vendendo ingressos. Fui até lá. Ele estava com a mulher e disse que tinha comprado cada ingresso por R$ 1 mil. Disse que só tinha R$ 1,5 mil e ele aceitou. Só comprei dele porque ele é um ator famoso, passa credibilidade. Quando chegamos na porta, fomos barrados. Disseram que eram falsos. Não deu para acreditar. Em vez de ver o jogo, passamos horas na delegacia”, declarou o curitibano à publicação. O caso foi registrado na 18ª DP, na Praça da Bandeira, perto do Maracanã, como estelionato.

Em conversa com o jornal Extra, Murilo confirmou que realmente vendeu os ingressos que tinha para o homem, mas disse que não sabia que eram falsos. Segundo o ator, os ingressos seriam usados por ele e sua mulher, a modelo Fernanda Tavares, e só foram vendidos porque o casal descobriu, ao chegar ao estádio, que os lugares eram para assentos separados.

“Eu comprei esses ingressos por R$ 2 mil no Parque Olímpico de um homem que me pareceu bem-apessoado. Um parente meu me passou o contato. Só me pareceu um pouco afoito, mas estava com a mulher. Então comprei. Mas a Fernanda descobriu, depois, que os ingressos eram para lugares separados. E a (promoter) Carol Sampaio estava me oferecendo outras entradas. Decidimos aceitar as dela. Fiquei meio constrangido de vender, mas tinha muita gente querendo ingresso. Aí decidir vender. Nunca ia imaginar que os ingressos eram falsos”, disse Murilo.

De acordo com o jornal Extra, os ingressos foram entregues pelo advogado na delegacia e passarão por uma perícia. Já foi aberto inquérito para investigar o caso.

X

Pin It on Pinterest

X