Namorada responsabiliza Jim Carrey em bilhetes suicidas

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Cathriona White, namorada de Jim Carrey que se matou em setembro do ano passado, deixou diversos bilhetes suicidas durante os anos em que namorou o ator anos antes de cometer o suicídio. De acordo com o TMZ, fontes revelaram que os investigadores do caso encontraram cartas em que ela dizia que iria se matar, mas acabou não o fazendo. A primeira estava data de outubro de 2012, um mês depois da morte de seu pai, quando ela namorava Jim há dois meses.

Cathriona escreveu que não se encaixava neste mundo e que era “tão problemática para qualquer um realmente amá-la”. Ela também disse que amava o namorado e pedia desculpas a ele. Ainda segundo o TMZ, no segundo bilhete, escrito logo depois do rompimento deles em maio de 2013, Cathriona acusa Jim Carrey de contaminá-la com doenças sexualmente transmissíveis e o culpa por seus pensamentos suicidas. Ela escreveu “meu sangue está em suas mãos” e “você puxou o gatilho contra mim”. Novamente, ela acabou não se matando.

Os dois reataram dezoito meses depois. Eles tiveram um encontro romântico em Malibu apenas nove dias antes de sua morte. Os bilhetes podem ser cruciais no processo movido pelo ex-marido e pela mãe de Cathriona contra Jim Carrey. Por outro lado, ao mesmo tempo em que ela estava aborrecida com ele em 2013 por causa das doenças sexualmente transmissíveis, ela acabou reatando com ele em 2014. Também é evidente que ela estava perturbada e abalada com várias outras coisas além de Jim, inclusive o terceiro aniversário de morte de seu pai.

O bilhete suicida final de Cathriona, encontrado junto de seu corpo, menciona coração partido, mas não fala nada sobre as doenças sexualmente transmissíveis. Em um dos bilhetes, ela disse que Jim era sua família e o deixou encarregado de seu funeral e testamento. Em nenhum dos bilhetes ela menciona o ex-marido ou a mãe.

X

Pin It on Pinterest

X