Walcyr Carrasco assopra as velinhas nesta quinta-feira (01/12)

O autor, dramaturgo e roteirista, Walcyr Carrasco completa mais um ano de vida nesta quinta-feira, 1º de dezembro. Criador de grandes sucessos, suas obras infantojuvenis pela Editora Moderna têm encantado cada vez mais o público de diversas gerações; e suas novelas mantêm qualquer telespectador colado na telinha para acompanhar o destino de seus personagens preferidos.

Nascido em Bernardino de Campos (SP), em 1951, Walcyr cursou jornalismo na Universidade de São Paulo (USP) e construiu carreira em várias redações de jornais. Mas foi depois de ler Reinações de Narizinho, de sua grande inspiração Monteiro Lobato, que Walcyr se apaixonou pela literatura e começou a escrever suas próprias narrativas.

Hoje, muitos de seus livros infantojuvenis são usados como paradidáticos em inúmeras escolas brasileiras e o escritor já foi contemplado com a menção de “Altamente recomendável” em alguns de seus títulos pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Em comemoração ao seu aniversário, a Editora Moderna que tem parte de suas obras publicadas com exclusividade, selecionou duas obras lançadas neste ano pelo renomado autor.

Romeu e Julieta – Com tradução e adaptação de Walcyr Carrasco, o autor se manteve fiel aos acontecimentos e ao ambiente tradicional da obra construindo um livro extremamente acessível ao jovem leitor contemporâneo, que poderá se envolver tanto na leitura de um texto teatral, escrito em forma de dramaturgia, quanto na leitura de uma adaptação narrativa. Por meio desse título, é possível que os leitores adentrem na cabeça dos personagens, acessando seus mais profundos sentimentos e desenvolvendo uma forte cumplicidade com elas.
Estrelas tortas – Em sua terceira edição pela Editora Moderna, o título conta a história de Marcella, campeã de vôlei que vê sua vida se transformar depois de sofrer um trágico acidente de carro, no qual se torna deficiente física. A narrativa traz as dificuldades, o sofrimento e as conquistas da garota pelo ponto de vista das pessoas que convivem com ela. A mãe, por exemplo, se sente culpada, já que era quem estava dirigindo o veículo no momento do acidente. O pai começa a tratar a filha como se fosse um vaso de vidro que pode se quebrar e a avó é quem consegue dar forças para que a neta siga em frente e busque novas oportunidades.




X

Pin It on Pinterest

X