Exclusivo: Mudanças radicais no jornalismo do SBT ficam para 2020 e emissora autoriza pequenas alterações em jornal no próximo ano

Para quem aguardava para o primeiro trimestre do ano que vem, grandes mudanças de cenários, pacote gráfico e equipamentos no jornalismo do SBT, terá que aguardar um pouco mais. O jornalista Júlio Fantin, do Bastidores da TV, recebeu em primeira-mão informações sobre o planejamento do departamento para os próximos dois anos, o que acaba de ser confirmado também pela assessoria da emissora. Para 2019, apenas algumas alterações no “SBT Brasil” foram autorizadas.

Atualmente, os jornais do SBT em São Paulo não são captados em HD (720p), como já ocorre com os demais programas e em muitas afiliadas. Os estúdios não são projetados para a nova tecnologia e as câmeras internas do jornalismo são ainda em SD (480p), o que proporciona menor qualidade na imagem que o telespectador recebe em seu televisor. Em agosto, o diretor artístico Fernando Pelégio respondeu no Twitter a um seguidor que as novas câmeras HD para o jornalismo chegam em janeiro. O SBT, informa à coluna que as câmeras em alta definição de fato estão programadas para chegarem à emissora no início de 2019, mas que o telespectador só notará um reflexo no vídeo após alguns meses, devido cronograma estratégico da emissora.

Telespectador notará grandes mudanças visuais nos telejornais do SBT, apenas em 2020, afirma assessoria.

A expectativa nos bastidores era de que com a chegada destes equipamentos, já estariam em desenvolvimento novos cenários para o jornalismo da emissora. Agora, em posicionamento oficial, o SBT confirma que há um projeto para a troca dos cenários de seus programas jornalísticos, outrora, com previsão para 2020 e não para o próximo ano. Para 2019, o telespectador notará apenas uma pequena alteração no atual cenário do “SBT Brasil”. Vinhetas, novos cenários, novos equipamentos e uma visível e radical mudança dos telejornais está planejada e autorizada apenas para 2020. O mesmo planejamento segue para as emissoras filiais do SBT, como o “SBT Rio” (que já tem projeto de modernização nos estúdios aprovado), “SBT Brasília” e “SBT RS”. Vale ressaltar que o “SBT Rio” saiu na frente da cabeça de rede e já utiliza há meses em seu telejornal um telão interativo, o que também poderá ser adotado pelo ”Primeiro Impacto”, atendendo pedido da equipe e apresentadores da atração.

Antigo cenário do “Primeiro Impacto”, utilizado até antes da padronização feita pelo SBT.

Até que um novo cenário não seja adotado, existe estudo para o retorno do antigo cenário no “Primeiro Impacto”, que acabou sendo descartado devido a “padronização” de cenários e pacote gráfico do jornalismo, após determinação de Silvio Santos. Não se descarta também a utilização de um dos estúdios do CDT da Anhanguera para que o “Fofocalizando” e o “Primeiro Impacto” ganhem espaços próprios, saindo assim da “gambiarra” hoje feita na pequena e multiuso redação. Esse novo estúdio também seria utilizado para o novo jornal popular que pode estrear nas tardes. Vale ressaltar que o projeto de um novo jornalístico é antigo e não tem qualquer previsão de ser materializado. Os altos índices de audiência da Record TV, no início das tardes e início das noites, no entanto, estão sendo acompanhados com atenção e embora ninguém confirme oficialmente, um novo “Aqui Agora” começa a ser desenhado internamente, segundo apurado pela coluna. A atual boa fase do “Primeiro Impacto”, também surpreendeu a emissora. Investir em programas do mesmo segmento popular é a ideia para buscar a vice-liderança nos horários onde a principal concorrente se destaca, tendo como favorável o baixo custo de produção e retorno comercial. Internamente, a estreia de uma edição vespertina do “Primeiro Impacto” nas tardes, foi vista como um grave erro, uma vez que não teve êxito devido a falta de planejamento, já que o mesmo foi colocado ao ar por livre e espontânea ordem superior.

Sucesso hoje no “Cidade Alerta”, Luiz Bacci já comandou nova versão do “Aqui Agora” no SBT. Projeto de uma nova aposta para o programa trava nas experiências negativas já testadas na faixa vespertina e a escolha de um apresentador que consiga agregar público à emissora.

Consultada pelo Bastidores da TV, a assessoria de imprensa do SBT, enfatiza que “quanto ao cenário, ocorrerá uma pequena adaptação no SBT Brasil em 2019. A grande mudança será feita apenas em 2020, com novos equipamentos para videografia que serão adquiridos em 2019. Quanto as câmeras, chegam em janeiro e devem levar alguns meses para proceder a troca”. A assessoria não se pronunciou sobre projetos de novos jornais em sua tarde, pois só comenta ações que já estejam aprovadas pela direção.

Siga/Participe:

*Escrito pelo jornalista Júlio César Fantin – Bastidores da TV

E-mail: colunajuliofantin@gmail.com
Twitter: @jcfantin
Facebook: @eusouojulio
Instagram: @juliocesarfantin

Júlio César Fantin

Trabalhou em empresas de comunicação como SBT SC, Band SC e Regional FM. Criou o site Portal G e o portal Ouvintes. É colunista de TV desde 2012. Atua no BastidoresDaTV, desde janeiro de 2015. colunajuliofantin@gmail.com

Pin It on Pinterest