Rick & Morty – A série mais anti-millennial dos últimos anos

Depois de um lonnngo e tenebroso inverno, onde me retirei para um período de paz e tranquilid – ok, na verdade estava com preguiça e sem ideias. Mas voltei, e ao menos 1 vez por mês tentarei trazer resenha de séries ou Live Actions para vocês. 😉

VEJA TAMBÉM: Os 7 Pecados Capitais: meu pecado foi ter demorado tanto para assistir.

Nos concentremos agora em Rick & Morty:

Em poucas palavras, Rick & Morty é uma ode ao que tínhamos até os anos ‘90.

Antes desses millennials, SJWs e problematizadores profissionais terem voz, tínhamos A Vida Moderna de Rocko, A Vaca e o Frango, Du Dudu & Edu e várias outras séries que eram insanas, mas que a mente das crianças processava como uma piada ou simplesmente ignoravam.

E indo contra todas pedagogas, formaram gerações que entendem e discernem melhor as coisas.

Com o passar do tempo, essas series foram limadas das emissoras ou mudaram sua essência — fracassando no ibope, ou simplesmente foram migrados para horários que só insones conseguia* ver.

As poucas séries de humor negro que temos hoje tem mais de 15 temporadas (Family Guy, Simpsons)* ou estão em serviços de streaming, mas Rick & Morty é mais recente.

Lançada em 2013 no excelente Adult Swim US, a criação de Dan Harmon e Justin Roilant ganhou a mídia em 2016, e estourou de vez em 2017. Pense na pior insanidade que você já viu vezes 1000. Isso é Rick & Morty, e ela é adorável por causa disso.

ATENÇÃO:

A partir de agora vai ter spoilers. Leia por sua conta e risco.

Tudo começa com Rick entrando no quarto do Morty totalmente bêbado, e arrancando-o da cama. Ele leva o moleque em um… carro voador que ele inventou e pretende destruir o mundo para recomeçar do 0.

O Morty fica apavorado, e quase esquece do plano quando o Rick diz que vai, levar junto o maior amor do Morty, Jessica, para eles serem os novos Adão e Eva.

Infelizmente o lado frouxo do Morty grita mais alto e ele consegue deter o avô antes de concretizar o plano. Que na verdade era apenas um plano para testar o garoto, dizem.

Mas assim como 2+2 é = Jessica, o preview acaba com a bomba ativada.

O resto do episódio apresenta os demais personagens principais: uma pincelada na irmã do Morty, Summer, no pai, Jerry, publicitário fracassado, e a mãe, Beth, cirurgião cardíaca… de cavalos(?).

Depois de uma aula de matemática dificílima e sonhar com a Jessica, o professor chama atenção do Morty que estava sonhando, mas só depois de 5 minutos

O pilot mostra um pouco da insanidade que vamos acompanhar ao longo da série, como um avô salvando o neto:

Coração partido:

E as aventuras mais… curiosas que pode encontrar.

E assim como na plateia do Programa Sílvio Santos, tem um pouco de contrabando

… mas a série é ótima. Juro.

Em R&M, apesar de as coisas começarem bem, SEMPRE tem algo que dá uma merda homérica: no episódio 2, o Jerry pede ao Rick que o cão da família fique mais inteligente, para não mijar dentro de casa. No começo tudo fica as mil maravilhas, mas as coisas começam a ir para um lado meio obscuro. Tudo por causa de um maldito espaço para mais pilhas. 🤷

Uma das maiores insanidade da série é o parque das bactérias, e no episódio 05: A revolta dos Meeseeks, temos a dimensão real do porque o Morty é tão… retardado, mesmo tendo uma mãe e um avô mais espertos que a população em geral. Aliás, isso prova que burrice além de hereditária, tem peso maior de hereditariedade.

Exclaimer:Adoraria ter um Meeseeks Box pra me ajudar em algumas tarefas. Seria realmente útil. 🤔/Exclaimer

Enfim.

Se você ama humor negro e insanidade, Rick & Morty e o que você está procurando.

Curiosamente, eu amei a série, mas o buzz gerado é exagerado. Talvez, seja porque eu estou cresci vendo esse tipo de conteúdo, e estou acostumado com esse tipo de animação, embora criações recentes com essa pegada sejam cada vez mais raras.

Os poucos que conseguiram escapar da ~programação natural~ dos millennials, acabaram gerando um buzz gigante em cima da série, mas é claro que isso não é demérito nenhum. Ao contrário, isso prova que a humanidade ainda tem salvação!

*Eu sei.

*Comparando a TV aberta brasileira em ‘90 e hoje. Aliás, Family Guy nunca foi exibido antes das 04h ou depois das 07h na Globo. Diferente de Simpsons, que era exibido como algo infantil.

ONDE ASSISTIR?

Netflix e lojinha do Paulo Coelho. 🖖

Twitter e Instagram: @Wardz_de_Souza

Facebook e Messenger: Wardz.de.Souza

Pin It on Pinterest