Artistas da trilha sonora de “A Lei do Amor” refletem sobre o significado do amor em suas obras

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Para a promoção de sua nova novela das nove, “A Lei do Amor”, a Globo convidou artistas que estão na trilha sonora para fazerem um mergulho nas criações que embalam as histórias. Ney Matogrosso, Zélia Duncan, Adriana Calcanhoto, Chico César e Alice Caymmi falam sobre a inspiração para cada uma das canções, sobre a experiência de ter sua obra na trama e fazem uma reflexão sobre o amor, sentimento tão universal e múltiplo.

O resultado são cinco vídeos disponíveis no canal da Globo no Youtube. Durante os depoimentos, as reflexões dos cantores vão sendo costuradas pelas mãos do artista visual Pedro Luis, que usa fios de lã coloridos para formar bordados delicados que revelam frases, trechos de música e pensamentos deles. Assim como representado na abertura da novela, são esses fios que conduzem e entrelaçam as histórias e os sentimentos.

O último vídeo divulgado no canal é com Chico César (bit.ly/2eWtr61). Presente na trilha sonora com “Estado de Poesia”, tema de Salete (Claudia Raia) e Gustavo (Renato Góes), o cantor e compositor entende que quando uma música faz parte de uma trama ganha também a vida das pessoas. “A vida das pessoas têm trilha como a novela tem trilha. Fico muito feliz que meu estado de poesia ajude as pessoas a entenderem a lei do amor”. A inspiração para a criação veio do som das ondas do mar na Paraíba. “O amor é generoso, tudo acolhe, tudo abraça. As margens têm a ilusão de dominar o rio. Mas é o contrário. É o rio que desenha as margens, que faz o seu trajeto. O amor é o rio, que tudo transforma”.

O próximo e último vídeo da série será com Adriana Calcanhoto, que tem a música “Não Demora” na trilha sonora de “A Lei do Amor”. Confira também os outros depoimentos.

Ney Matogrosso (bit.ly/2dSAjgp): presente na trilha com “O Trenzinho do Caipira”, tema de abertura da novela. “Uma música marca um amor. Muita gente quando ouve uma música lembra de um ex-amor, do começo de um romance. A música tem essa capacidade de fixar uma memória”.

Zélia Duncan (bit.ly/2ebdckc): presente na trilha com “No Meu País”. “Quando uma música entra numa trilha dá a ela um renascimento. Quem ouve vai ter também sua própria sensação. Não é mais minha, é do personagem, é de quem ouviu. É uma corrente muito poderosa”. E reflete: “O amor é a aposta insensata na liberdade alheia”.

Alice Caymmi (bit.ly/2enWL6z): presente na trilha com “Meu recado”, tema de Vitória (Camila Morgado) e Ciro (Thiago Lacerda). “Poder fazer parte da história de um casal fictício, assim como dos casais que estarão assistindo, é um privilégio. O amor mudou de obrigação para escolha. Temos liberdade de amar quem nós quisermos, desde que sejamos amados de volta”.

X

Pin It on Pinterest

X