Ministério Público da Espanha pede dois anos de prisão a Neymar

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O Ministério Público da Espanha pediu nesta quarta-feira (23) que o jogador Neymar seja condenado a dois anos de prisão por corrupção nos contratos assinados com o Barcelona entre 2011 e 2013. De acordo com informações do jornal espanhol El País, a acusação apresentou o pedido decorrente da queixa feita pelo fundo de investimentos DIS, ex-proprietário de 40% dos direitos econômicos do jogador.

O promotor José Perals pede também uma sentença de cinco anos de prisão para o ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell por corrupção e fraude. Ele solicita ainda uma multa de 8,4 milhões de euros (R$ 29,8 milhões) ao clube. Na acusação, o Ministério Público, que conseguiu reabrir o caso após o juiz José de la Mata engavetar o processo, pede o encerramento da queixa contra o atual presidente do Barça, Josep Maria Bartomeu.

O caso foi reaberto pela Justiça da Espanha em setembro por entender que a contratação de Neymar não só violou as regras da FIFA, como também afetou a concorrência entre os clubes. A DIS recorreu à Justiça espanhola por causa do valor que recebeu referente à negociação. O Barcelona diz ter pago 17,1 milhões de euros (R$ 60,5 milhões) ao Santos e mais 40 milhões de euros (R$ 141 milhões) para a família de Neymar. A empresa alega ter recebido 40% sobre o valor pago ao Santos e também quer 40% sobre o dinheiro destinado diretamente ao jogador. As investigações na Espanha revelaram que o valor real pago por Neymar chegou a 83 milhões de euros (R$ 293 milhões). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.