Coluna: Alguém avisa Silvio Santos para abrir as portas da esperança?

julioo12111
Coluna 57 – BastidoresDaTV.com.br

Sem querer ser repetitivo, mas há situações que deixam qualquer ser pensante, com o mínimo de senso crítico, simplesmente desiludido. Quando nada poderia ser pior, Silvio Santos, o multifuncional (apresentador, diretor, proprietário e inventor de fatos inusitados), cria o “Padrão SBT de Qualidade Jornalística”. Isso mesmo. Agora, os quatro jornais da emissora possuem o mesmo cenário, o mesmo pacote gráfico, além de um relógio analógico e a temperatura na tela.

Se Silvio Santos, surpreendeu do dia para noite, resolveu exibir cerca de 8h diárias de jornalismo, quase 7h ao vivo, se decidiu colocar um jovem de 18 anos para apresentar um telejornal por 2h seguidas (querendo resultados, sem estrutura) e se tirou as séries para exibir jornal ao vivo, também aos fins de semana, isso diz respeito unicamente ao seu estado de humor. O único grande problema é que nem tudo parece estar em perfeita sintonia. Como competir, sem investimentos, sem fazer o bom uso do ao vivo nos telejornais? Em uma era em que a internet traz a informação em tempo real, reaproveitar material sem nenhuma atualização ou até mesmo a estrutura já existente, beira o amadorismo do “Padrão Silvio Santos de fazer jornal”, com cara de programa de auditório. Não bastam grandes apresentadores, repórteres e cinegrafistas. É preciso evoluir com a mesma agilidade que a informação.

Silcio Santos colocou jovem para apresentar jornal, mas esqueceu de investir em equipe e estrutura
Silvio Santos colocou jovem para apresentar jornal, mas esqueceu de investir em equipe e estrutura

Hoje não vou apenas criticar, até mesmo porque há muita gente que gosta de ver uma mesma reportagem diversas vezes, tanto quanto já assistiu Chaves e A Usurpadora. Outros defendem a economia de custos, justamente porque acreditam que o telespectador fica na frente da TV, apenas durante alguns minutos (rotatividade sem muita lógica). Hoje vou citar alguns pontos que o dono do SBT poderia considerar, sem precisar gastar muito. Tal como o programa de grande sucesso do patrão, vamos abrir as portas da esperança e ver se o jornalismo do SBT ganha investimento e o mínimo de respeito?

Silvio Santos ordenou padronização dos telejornais da emissora
Silvio Santos ordenou padronização dos telejornais da emissora

1) Diversificação de reportagens: O SBT possui 114 emissoras em todo país. No entanto, o material produzido pelas afiliadas é pouco aproveitado. É como se em todo material produzido em rede nacional, quase que 95% de tudo não tem relevância. Logo, as mesmas reportagens são exibidas no SBT Brasil, Jornal do SBT, SBT Notícias e Primeiro Impacto. Raramente, alguma nova informação é inserida nos telejornais. Somente com o conteúdo produzido pela rede seria possível fazer jornalismo ao vivo, sem necessidade de repetir com exaustão uma informação.

2) Uso do ao vivo: De nada adianta um telejornal ser ao vivo, se ele se limita aos estúdios da emissora. Muitas afiliadas e até emissoras próprias do SBT possuem jornais locais logo cedo. Logo, quando o Primeiro Impacto entra no ar, já é possível linkar as redações com um giro atualizado pelo país, tal como ocorria com êxito com César Filho, no extinto Notícias da Manhã, com participações de diversas praças. A interação passa ao telespectador a real sensação de estar acompanhando um informativo em tempo real e ao qual tenha algum impacto. As capas dos principais jornais do país também podem ser apresentadas ao telespectador do SBT Notícias e do Primeiro Impacto. São informações tão importantes como a hora, a temperatura e o trânsito.

3) Uso da internet: Não é mais necessário investir milhões para se ter um amplo sistema de transmissão em tempo real, via satélite. A informação deve ter prioridade, na hora que ela acontece. Das 5 as 8h, os telejornais podem entrar com imagens ao vivo do amanhecer e do trânsito das principais capitais. Se utilizar um helicóptero gera muitos custos para uma emissora do porte do SBT, que se utilizem as câmeras abertas de monitoramento público destas cidades, disponíveis gratuitamente pela internet. Outra solução a médio prazo é instalar câmeras ligadas a wifi, nas sedes das emissoras e as transmitirem ao vivo via Internet. Assim, o telespectador da emissora poderá ter o conteúdo nos telejornais e também pelo site do jornalismo do SBT. O recurso do “ao vivo via Internet “ pode também ser utilizado pelos correspondentes internacionais. Mesmo que a qualidade da imagem não seja a mesma de um satélite, há formas bastante eficazes de ter um bom sinal transmitido pela web, basta querer.

Será que Silvio Santos vai abrir a porta da esperança do jornalismo do SBT?
Será que Silvio Santos vai abrir a porta da esperança do jornalismo do SBT?

4) Grade: Embora hoje o jornalismo ocupe cerca de 8h da programação, a grade da emissora fica por 11h45 sem qualquer jornal, enquanto das 19h45 as 08h, são cerca de 8h destinadas a informação. Ficar 12h sem notícias, não é bom para uma emissora que quer manter seu público sintonizado no mesmo canal e se diz “a cara do Brasil”.

5) Investimento a médio prazo: Mesmo em tempo de crise, investir em bons profissionais e estrutura é fundamental. O SBT já teve bons momentos marcantes no jornalismo. Foi pioneiro com o Aqui Agora e o TJ Brasil. Investir nas redações, nas afiliadas, nas equipes de externas, em novos cenários e num jornalismo 100% digital. É preciso resgatar o telespectador que migrou para a concorrência, justamente pela falta de inovação e investimento do SBT no departamento. O principal telejornal da casa é um que carece ser relançado. Já o Primeiro Impacto deve mostrar para que veio. Que impacto causa no público, apenas reportagens gravadas e que já foram exibidas nos jornais anteriores? Que impacto tem o ao vivo, apenas com imagens dos estúdios do SBT, no horário em que as grandes cidades começam a acordar e a enfrentar os mais diversos problemas? Investir hoje, para se ter um bom retorno amanhã. Credibilidade se constrói com o tempo e com planejamento. A audiência é uma consequência e não uma questão de sorte.

Siga: JÚLIO CÉSAR FANTIN

Twitter: @jcfantin

Facebook: @eusouojulio

Instagram: @juliocesarfantin

Júlio César Fantin

Trabalhou em empresas de comunicação como SBT SC, Band SC e Regional FM. Criou o site Portal G e o portal Ouvintes.

X

Pin It on Pinterest

X