Exaltando as “musas” Lívia Andrade e Nicole Bahls, MC Fabinho fala sobre o trabalho com as beldades e conta mais sobre sua carreira

Recentemente, o MC Fabinho lançou seu novo vídeo clipe “Ta Ficando Bom” com a participação especial da sua “musa” Lívia Andrade e chamou atenção pela sua produção. Mas enganasse quem acha que esta foi a única musa do funkeiro, em “Ponto Fraco” ele conta com a participação da modelo Nicole Bahls.

Nós conversamos com o cantor para saber mais sobre sua carreira e seus trabalhos e quem será a sua próxima musa? confira:

Bastidores: Como começou a sua trajetória na musica?
Fabinho: Comecei a cantar e compor funk aos 17 anos, sempre participei dos bailes que aconteciam na comunidade de Mauá, de onde eu venho aqui em São Paulo, recebi muito incentivo das pessoas e dos amigos, e isso me deu força para seguir e acreditar no meu trabalho.


Bastidores:
Imaginava que seu trabalho iria ganhar tanta proporção como trabalhar com artistas como Nicole Bahls e Lívia Andrade?
Fabinho: Eu acreditava que um dia meu trabalho seria reconhecido e que pudesse viver da musica, mas nunca imaginei em trabalhar com pessoas tão famosas e ao mesmo tempo tão carismáticas e queridas, para mim é uma honra.

Nicole Bahls em participação do clipe “Ponto Fraco”, ao aldo de MC Fabinho.

Bastidores: Como foi trabalhar com as duas?
Fabinho: Foi maravilhoso, eu não posso deixar de elogiar o carinho e profissionalismo de cada uma delas e agradecer por aceitarem o convite. Quando me disseram que eu iria contracenar com a Nicole Bahls eu fiquei nervoso, pois sempre fui fã dela, quanto a Lívia Andrade eu me identifiquei muito é uma super profissional e foi uma alegria conhecê-la. Eu me orgulho muito em dizer que são as musas dos meus vídeos clipes.

Bastidores: Sua musica é um funk “saudável”, podendo ser ouvido por todos. Você prioriza isso ou pretende abordar outros assuntos mais restritos?
Fabinho: O meu objetivo maior é exaltar a mulher, por isso as letras que trabalho no funk não são no estilo pesadão. Eu tenho um filho pequeno que curte o meu trabalho e me preocupo em passar para ele boas influências, principalmente o respeito e educação. Não tenho nada contra o estilo proibidão eu tenho letras um pouco mais pesadas sim, mas é restrito para algumas ocasiões.

Bastidores: Existe algum artista que gostaria de fazer um trabalho?
Fabinho: Sim, tenho projetos em parceria com outros artistas eu pretendo trazer uma nova musa, para o próximo single eu e minha equipe já estamos penando em alguns nomes.

Bastidores: Quais suas influências musicas?
Fabinho: MC LON, MC Livinho, curto muito o trabalho deles e de todos os MC’s.

Bastidores: Além do Funk, o que não pode faltar no seu player de musica?
Fabinho: Samba, Pop, Sertanejo eu sou bem eclético e gosto de conhecer novos ritmos não fico limitado somente ao funk, gosto também de usar essas influencias no meu trabalho.

Bastidores: Na sua visão o funk ainda sofre preconceito?
Fabinho: Já ultrapassamos diversas barreiras e conquistamos um espaço importante na musica, o que existe é uma preferência, existem as pessoas que gostam e as que não gostam de funk. O preconceito existe com algumas letras e comportamentos relacionados ao funk, mas não com o ritmo que é incrível.

Bastidores: O que podemos esperar do MC Fabinho para este ano? Quais as novidades?
Fabinho: Ainda este ano muita coisa vai rolar como o novo single e novo vídeo clipe. A musica nova vai ser um feat com minha nova musa a ideia e que ela cante comigo também.

 

+ SOBRE O COLUNISTA: @MAXSODY 

Amante dos anos 80 e 90, música, tecnologia, games, televisão e cinema. Escrevo sobre minhas paixões desde 2008 para os mais diversos portais.
Toda semana busco um tema diferenciado e exclusivo para o meu leitor.
Te espero nas minhas redes sociais (@Maxsody) para bater um papo sobre estes assuntos, até a próxima!

 

Pin It on Pinterest