Globo News pode receber concorrência internacional com as versões brasileiras de BBC, CNN e Fox News

Não é somente a TV Globo, a segunda maior emissora de televisão do mundo, que possui ‘respeito’ ao redor do planeta. Concorrer com qualquer produto do Grupo Globo, principalmente em solos brasileiros, não é uma missão das mais fáceis, até mesmo para grandes conglomerados internacionais de mídia. Um país com grande foco mundial, o Brasil certamente já teria há muito tempo suas versões nacionais dos canais de notícias mais respeitados do mundo: BBC (Reino Unido), CNN (EUA) e Fox News (EUA); evidentemente que não é por falta de interesse destes canais que a “Globo News” hoje ainda domine o mercado nacional, tendo na TV paga, duas fracas concorrentes brasileiras: “Band News” e “Record News”.

Não é de hoje que a imprensa ventila notícias do lançamento da “CNN Brasil”. Em 2017, primeiro cogitou-se uma parceria com a “RedeTV!”, depois a informação era de que a versão em português da CNN seria a grande aposta da “Simba Content”, operadora de TV paga formada por “Record TV”, “SBT” e “RedeTV!”. Embora não se confirme quem de fato será a responsável pelo nascimento da “CNN Brasil”, sua materialização está muito próxima de acontecer. Fontes ouvidas pelo BastidoresDaTV apontam que tudo se encaminha para o lançamento do novo canal de notícias da TV paga brasileira, até o fim deste ano. O fato, se confirmado, tirará o monopólio da “Globo News” e criará um ‘efeito cascata’. Dois outros canais internacionais também já estão de olho no país. Com estúdios no Brasil, desde 2012, a rede americana de notícias, ensaia finalmente sua chegada. A CNN é a maior emissora de notícias 24 horas do mundo e pertence a programadora internacional Turner (TNT, Space, Warner Channel, I-SAT, TCM, etc.). A rede possui canais nos EUA (CNN US), Chile (CNN Chile), Índia (CNN-IBN), Turquia (CNN Türk), Japão (CNNj), além de toda a comunidade de língua espanhola do mundo por meio da “CNN en Español”. Já são dois estúdios aqui no Brasil: Rio de Janeiro e São Paulo, o que indica que a emissora americana só espera o melhor momento para ser oficializada em solos tupiniquins.

Líder de audiência nos Estados Unidos, no segmento all news, a “Fox News” também deve criar seu canal no Brasil. Já tendo toda uma estrutura montada por aqui e boa aceitação dos brasileiros com seus canais “Fox Sports”, a recente aproximação com as operadoras de TV, pode abrir caminho para a criação do canal de notícias, até então não cogitado, devido a recusa de negociação com as duas maiores operadoras (NET e Sky), que foram criadas pelo Grupo Globo e até hoje possuem forte ligação com a Família Marinho. O canal de notícias da Fox foi lançado em 7 de outubro de 1996 para 17 milhões de assinantes de cabo. O canal cresceu durante a década de 1990 e 2000 para se tornar a rede de notícias a cabo dominante nos Estados Unidos. A rede Fox News tem sido acusada de fazer reportagens de cunho tendencioso e promover o Partido Republicano, de orientação conservadora. O canal, contudo, nega as acusações de ser partidário ou parcial. Caso seja lançado por aqui, certamente o “Fox News Brasil” deve ser visto como o oposto da “Globo News”. A linha editorial do canal Fox segue mais o confronto e a ideologia da “direita”.

Brasil pode ter quatro grandes canais de notícias.

Por fim, a mais antiga rede de notícias internacionais, em solos brasileiros, pode desembarcar de vez na TV paga. No ano que a “BBC Brasil” completa 80 anos, o interesse pela expansão é grande. Seja por conta própria ou através de parcerias como a firmada há anos com a Band, a “BBC Brasil” pode ser a grande salvação da hoje desacreditada “Band News”. Como todo o Grupo Bandeirantes passará por intensas mudanças em 2018, fontes ouvidas pelo BastidoresDaTV, não descartam a ampliação da parceria com a rede britânica que assumiria a “Band News”. O grande entrave seria a parceria de longa data entre a “Band” e a “Globo”, tanto nos primórdios da TV por assinatura, como na era de ouro do esporte. O Economia brasileira projeta para os próximos anos, uma ampliação de mercado com o Reino Unido, devido sua saída da União Européia. O interesse britânico pelo Brasil, não é de hoje; e essa aproximação financeira também pode ser o ‘gancho’ para a versão tupiniquim da BBC, aqui na nossa TV, mesmo que para isso, se feche as portas no Sistema Globo de Rádio, onde são exibidos diariamente boletins da “BBC Brasil”. São oito décadas de produção jornalística da BBC em português para ouvintes, internautas e espectadores brasileiros. O início do serviço de notícias em português, em 14 de março de 1938, foi marcado por uma notícia que mostrava o caminho que o mundo percorria na época em direção ao que seria a Segunda Guerra Mundial. “O senhor Hitler entrou hoje à noite em Viena”, disse o apresentador Manuel Braune, o Aimberê, inaugurando o noticiário da BBC para o Brasil, transmitido na época apenas no rádio, em ondas curtas. Ao ser criado, o serviço da BBC em português era apenas uma pequena parte da equipe de meia dúzia de jornalistas responsáveis pelos programas enviados para toda a América Latina. O restante da equipe produzia notícias em espanhol. Atualmente, a BBC Brasil tem cerca de 30 funcionários, sendo eles 25 jornalistas, divididos entre sua sede, em Londres, um escritório em São Paulo e correspondentes em Brasília e Washington (EUA). A produção jornalística da “BBC Brasil” é hoje concentrada no site bbcbrasil.com, mas inclui também boletins de notícias transmitidos pelas rádios “CBN” e “Globo” e vídeos veiculados na TV pela Band. Os vídeos e boletins de áudio também podem ser vistos e ouvidos no site.

Siga: JÚLIO CÉSAR FANTIN

Twitter: @jcfantin

Facebook: @eusouojulio

Instagram: @juliocesarfantin

Júlio César Fantin

Trabalhou em empresas de comunicação como SBT SC, Band SC e Regional FM. Criou o site Portal G e o portal Ouvintes. É colunista de TV desde 2012. Atua no BastidoresDaTV, desde janeiro de 2015. colunajuliofantin@gmail.com

Pin It on Pinterest