Mara Maravilha escancara falta de profissionalismo e esquece que trabalha em equipe no SBT

Trabalhar em equipe é um dos trabalhos mais difíceis na carreira de alguém, por toda a complexidade que envolve você discutir e entender uma pessoa. É ego, você pode se adaptar melhor a uma pessoa e a outra não, mas acima de tudo, principalmente dentro de um programa de TV, não só em respeito à emissora em que trabalha, mas principalmente para o público, a equipe deve permanecer unida mesmo em situações que estavam foram do seu alcance.

O caso do jornalista Leo Dias e da apresentadora Mara Maravilha, no “Fofocalizando” da última terça-feira (14), vai de acordo com o que pode ser uma equipe unida ou um grupo de pessoas onde um tenta derrubar o outro.

Leo revelou com exclusividade que a mãe de Gracyanne Barbosa tinha parado na UTI por causa do ataque de um dos cachorros da musa fitness e do Belo, desmentido em seguida pelo cantor (depois foi descoberto que na verdade foi a mãe do Belo que foi internada pelo motivo e o fato foi escondido por causa de dívidas).

Leo conversou com o Belo, que afirmou que nada daquilo tinha acontecido. O jornalista imediatamente pediu desculpas ao público.

Em meio a opiniões sobre o assunto, a maioria saiu em defesa do programa, como foi o caso de Lívia Andrade. “Isso que é bom, Leo, você tem acesso aos artistas e esclarece tudo rapidinho. Foi quase uma pegadinha do malandro. E você, malandramente, pegou a informação correta e corrigiu para o nosso público. Isso que importa!”. E vale sempre ressaltar que o jornalista é responsável pelas grandes reportagens do programa.

A última a falar, Mara Maravilha, escancarou algo que, em equipe, deveria ser falado em reunião. “Dessa vez ficou tudo bem, mas é muito complicado a gente dar uma notícia e depois explicar que focinho de porco não é tomada. Então é bom a gente se precaver. O ideal mesmo é a gente checar antes para depois a gente falar. Eu penso assim, desculpa, tá? Com todo respeito à todos”.

Um silêncio ensurdecedor foi provocado no sofá entre Mamma, Décio, Lívia e Leão. No Rio, Leo Dias não se manifestou. O switcher, onde fica a direção e a técnica, o silêncio foi geral. Até a trilha sonora tradicional do programa foi interrompida. A situação dentro do programa não é das melhores e isso não é segredo para ninguém. Em várias situações fica nítido que o sofá roxo virou um campo de batalha.

Mara Maravilha deixou evidente que não são apenas as fofocas que são comentadas a partir de agora, mas também o trabalho do colega. E assim, como ficou evidente para Leo Dias, ficou para o público do programa: Mara Maravilha joga contra o “Fofocalizando”. Mara (de novo) se mostrou um inquisidor, em busca de falhas nas notícias dadas por Leo Dias para queima-lo ao vivo no programa. Queimar para quem? Vai de encontro com a “teoria da conspiração” que ela tentou derrubá-lo para colocar “um amigo em seu lugar?”.

Silvio Santos disse isso em seu programa quando Leo Dias participou do “Jogo das Três Pistas”, então existe a sua verdade. Na história da emissora, o seu patrão nunca disse um “a” sem ter a sua verdade mascarada.  Isso aconteceu meses após Leo Dias estrear no SBT.

Em meio a turbulência que vive o programa, muito tem se questionado porque o diretor da atração não toma uma decisão dura a respeito de tudo o que tem acontecido. E isso pode ser esclarecido agora: um diretor de programa não é um diretor artístico ou o dono da emissora. Ele trabalha com as peças que a emissora dá a ele. E tem que fazer o melhor possível dentro que lhe cabe.

Pin It on Pinterest