Sem lógica: SBT reinventou Ratinho, mas insiste em desperdiçar outros talentos, com formatos desgastados

Carlos Massa, o apresentador Ratinho (61), completa agora no fim de agosto, 19 anos de SBT. Hoje, uma das maiores audiências da emissora, ocupando a vice-liderança isolada em audiência, o apresentador teve que se reinventar com o tempo e trazer novidades ao seu programa, para não ficar na geladeira. A nova fórmula deu certo e além de atrair mais anunciantes, o transformou num dos grandes apresentadores da atualidade. O caso de Ratinho é apenas um exemplo, de que tudo na TV tem que se reciclar e que mesmo quando existe tradição num programa, sempre é possível almejar melhores resultados, provocando algumas simples mudanças para evitar que o formato entre em desgaste, junto com o apresentador, como já ocorre com o “Máquina da Fama”, de Patrícia Abravanel que como revelamos em julho, deve ganhar um merecido descanso em 2018.

Após muitas críticas e polêmicas, Ratinho se reiventou. Apresentador completa 19 anos de SBT, neste mês de agosto. Polêmica saída da Record aconteceu no fim de agosto e a estreia na nova emissora foi no início de setembro de 1998.

Após 13 anos na grade do SBT, Christina Rocha e seu “Casos de Família”, necessitam com urgência saírem do comodismo. Christina é um dos nomes mais emblemáticos da emissora nestes 36 anos e sua capacidade e penetração popular estão sendo desperdiçadas pelo SBT. Mesmo com público fiel e campeão de memes na internet, o “Casos de Família” estagnou. Sua audiência oscila de acordo com a grade da emissora e a vice-liderança não é mais uma garantia. A culpa é de Christina? Não. Se há culpado no desgaste natural da atração, este é o canal de Silvio Santos. Christina Rocha tem potencial para muito mais do que atualmente a lhe oferecem como única opção. Por mais clássico que seja o “tema do dia”, um upgrade e diversificação de quadros na atração deve ser tratado com prioridade, o mais rápido possível.

Christina Rocha já está há oito anos no comando do “Casos de Família”. SBT necessita rever o formato e acreditar mais no potencial da apresentadora que ganhou projeção nacional com o sucesso de “O Povo na TV”.

Christina Rocha (60), tem um público cativo e a capacidade de atrair anunciantes para as tardes do SBT. Seu bom desempenho não vem de hoje. Brilhou na década de 80 com o saudoso “O Povo na TV”. Na década seguinte foi um dos grandes nomes do “Aqui Agora” e a estrela do “Alô Christina!”. Em 2000, apresentou o novo “Fantasia”. Ficou fora do SBT, entre 2001 e 2008, quando retornou na nova versão do “Aqui Agora”. Desde que estreou no “Casos de Família”, em 2009, substituindo Regina Volpato, aparentemente Silvio Santos, esqueceu que a ex-cunhada tem competência para elevar seus índices e assim impulsionar a grade vespertina com um produto que ofereça maior variedade. Ratinho se renovou, mas seu “Teste de DNA”, continua como quadro do seu programa. Christina não necessita abandonar seu “Casos de Família”, mas pode transformar o “tema do dia”, como um quadro de sua atração. Pela concorrência do horário, com planejamento e vontade é possível apresentar um novo “Casos”, com adaptação de outros formatos internacionais como o “Caso Encerrado” e até quadros do “O Povo na TV”, programa que marcou o início da TVS/SBT.

SBT necessita descansar a imagem do “Domingo Legal” e resgatar o Celso Portiolli de 1996, ano em que o apresentador assumiu o “Passa ou Repassa” e desde então, já apresentou diversos formatos na emissora.

Outro programa tradicional do SBT, que teve seu fim anunciado em 2016, mas que acabou continuando na grade é o já desgastado “Domingo Legal”, que já chegou a ser a maior audiência do SBT, em seus áureos tempos, quando batia o Faustão com frequência. Celso Portiolli (50), substituiu Gugu Liberato em 2009 e desde então, apesar de diversas tentativas e reformulações não conseguiu engrenar e garantir a vice-liderança. E a culpa também não é de Portiolli. O apresentador, desde 1996, quando estreou no comando do “Passa ou Repassa”, provou ao longo da sua história no SBT que tem potencial para comandar grandes atrações. Em 2016, seu “Sabadão” resgatou um Portiolli mais espontâneo e quando o programa começou a se consolidar como uma excelente opção para as noites de sábado, Silvio decidiu acabar com o programa, alegando corte de custos. O “Domingo Legal” é uma marca forte, mas necessita de um descanso. Desde o lamentável episódio da “Farsa do PCC”, a atração não conseguiu mais o mesmo sucesso e credibilidade. Há anos o “Domingo Legal” deixou de ser uma atração legal e gostosa de se ver na TV. Aliás, o programa tem até dezembro para recuperar a audiência perdida para a concorrência ou seu fim deve ser anunciado. Patrícia Abravanel é a mais cotada dentro do SBT para assumir o horário no próximo ano, com uma nova atração. O SBT deve apostar em Portiolli num novo projeto aos sábados, caso não haja reação do seu dominical que já foi reduzido por conta do “Mundo Disney” e pode ter como destino, o Memorial da Anhanguera.

Completando 20 anos de SBT, neste ano, Moacyr Franco é um multitalento esquecido no baú de Silvio Santos.

Desde 2005, sendo subaproveitado no humorístico “A Praça é Nossa”, o cantor, apresentador, ator e humorista Moacyr Franco (80), já foi mais relevante para o SBT, como nos projetos de sucesso em que estrelou: “Ô… Coitado” e “Meu Cunhado”. Moacyr certamente foi mais valorizado por Silvio Santos. Teve oportunidade de comandar o “Concurso de Paródias”, em horário nobre; e o “Pequenos Brilhantes”, nas tardes de domingo. Com um multitalento desperdiçado, há 12 anos, o artista interpreta personagens como o folclórico “Jeca Gay” e o fraco “Gabriel, a caminho do céu”, no humorístico de Carlos Alberto de Nóbrega. Uma espécie de prêmio de consolo, para um artista que está na emissora há exatos 20 anos e já provou que tem capacidade para ser melhor explorado, tanto é que chegou a ser diretor de criação do SBT e foi um dos grandes responsáveis pela contratação de Ratinho. Mais um desperdício que Silvio Santos esqueceu no baú.

Siga: JÚLIO CÉSAR FANTIN

Twitter: @jcfantin

Facebook: @eusouojulio

Instagram: @juliocesarfantin

Júlio César Fantin

Trabalhou em empresas de comunicação como SBT SC, Band SC e Regional FM. Criou o site Portal G e o portal Ouvintes. É colunista de TV desde 2012. Atua no BastidoresDaTV, desde janeiro de 2015. colunajuliofantin@gmail.com

Pin It on Pinterest