Música e reflexão sobre a juventude marcam show do “Criança Esperança” 2016

Foto: Globo/Divulgação
Foto: Globo/Divulgação

Um espetáculo ao vivo direto dos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro, celebrou a corrente de solidariedade propagada pelo “Criança Esperança” de 2016 na noite deste sábado, dia 2 de julho. O palco, composto por adereços coloridos em referência à marca da campanha , recebeu diversos talentos em apresentações que divertiram e emocionaram o público, além de trinta artistas, como Paolla Oliveira, Camila Queiroz, Domingos Montagner, Fernanda Torres, Flávia Alessandra, Alexandre Borges, Cléo Pires, Suzana Vieira e Tony Ramos, ocupando o mesão de doações.

Todo o show foi conduzido pelos mobilizadores Flávio Canto, Dira Paes, Lázaro Ramos e Leandra Leal, que convidavam os espectadores a abraçar a causa do projeto ajudando o próximo e a refletir sobre a condição da juventude brasileira. “O Criança Esperança não é só um programa de televisão. É um movimento de solidariedade que te convida a olhar para as pessoas ao lado e acreditar num futuro melhor”, falou Flavio Canto.

Luan Santana abriu a noite com a canção “Enquanto há tempo”, cujos versos exaltam a importância das ações altruístas. Em seguida, foi a vez de Carlinhos Brown e os pequenos Rafa Gomes, Wagner Barreto, Pérola Cristaldi, Felipe Adetokunbo, Enzo e Éder, Ryandro, Luna, Malu Cavalcanti e Luiza Prochet, participantes do ‘The Voice Kids’, subirem ao palco para cantar “Tempos Modernos”.

Logo após, o vídeo “O Caminho do Dinheiro” mostrou como as doações recebidas chegam às instituições beneficiadas e, no palco do espetáculo, jovens que já foram apoiados e outros que ainda serão contemplados pelo “Criança Esperança” trocaram experiências e expectativas. De volta às apresentações musicais, foi a vez de Michel Teló, Marcelo Jeneci, Lucy Alves e Luan e Forró Estilizado se unirem para um medley de clássicos do forró. Juntos, eles interpretaram “Bate Coração”, “Só Quero Um Xodó” e “Olha Isso Aqui Tá Muito Bom”.

Para falar sobre a violência contra os jovens, Lázaro Ramos chamou um vídeo apresentando uma intervenção artística no Centro do Rio e as histórias de 24 mães cujos filhos morreram vítimas de violência. Logo após a exibição, elas subiram ao palco para cantar “Rap da Felicidade” em coro com Alcione e comoveram a plateia.

Em seguida, foi a vez de um grito de liberdade pelo fim da ditadura da beleza. “A beleza é um infinito de formas e cores. Vamos combinar uma coisa? Seja feliz e linda exatamente do jeito que você é!”, disse Leandra Leal, chamando para o musical de Anitta, em que interpretou “Perigosa” acompanhada de bailarinas plus size. Um vídeo sobre a desigualdade de gêneros mostrando a disparidade entre salários de homens e mulheres também levou à reflexão.

Ana Carolina chegou para interpretar “Partido Alto”, e Chitãozinho & Xororó e Bruno Boncini se encontraram para uma versão rock de “Evidências”. Parte da turma da ‘Escolinha do Professor Raimundo’ arrancou gargalhadas da plateia em uma divertida e inusitada performance musical. Caracterizados como seus respectivos personagens na nova versão do humorístico, Mateus Solano, Evandro Mesquita, Marcelo Adnet, Otaviano Costa, Fabiana Karla, Betty Gofman e Lúcio Mauro Filho cantaram e dançaram “Pelados em Santos”.

Entre os vídeos exibidos, um dos destaques ficou por conta de uma experiência contra o racismo. Um grupo de crianças foi chamado para decorar uma cena. Um diretor as orientava a ler frases de preconceito para uma atriz negra. Ao perceberem o conteúdo do texto, todas se negaram a continuar a experiência e contaram histórias pessoais. O diretor, então, troca de lugar com a atriz e pergunta se os pequenos podem dirigir a ele as ofensas. Unanimamente, elas se negaram: ‘Isso não é bom de falar para ninguém’. Mumuzinho e JP Rufino deram voz à “Todo menino é um rei”. Já a canção “Sou Criança e Não Entendo Nada” ganhou voz com Paula Fernandes e Diogo Nogueira.

Uma das novidades deste ano foi a doação via aplicativo de conversa por vídeo. Dira Paes e Leandra Leal atenderam ligações. As doações também aconteceram em links ao vivo pelo país. Direto do palco de um show em Juiz de Fora, Minas Gerais, a dupla sertaneja Henrique e Juliano anunciaram que toda a verba dos ingressos vendidos será revertida para o “Criança Esperança”.

“O show do Criança Esperança é a síntese do trabalho de um ano inteiro. Somos parceiros desde 2004 e ficamos felizes que o programa represente acesso a cidadania, respeito e direitos para milhões de crianças, adolescentes e jovens em nosso país. O Criança Esperança cria oportunidades, empodera pessoas e transforma vidas. Milhões de vidas”, disse a diretora da Área Programática da UNESCO no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto.

Antes de encerrar o show, Renato Aragão subiu ao palco para dar uma mensagem de otimismo e reforçar o legado do projeto. “Essa campanha não é de ninguém. Ela é de todos. É de todo mundo que participa, que mobiliza, que vibra, que doa seu tempo, que acredita num mundo mais justo e mais digno, como eu acredito. A campanha contribuiu para a criação do Estatuto da Criança e do Adolescente, que passou a garantir os direitos da criança e elas começaram a ser ouvidas”, disse.

Representando a juventude, a atriz Livian Aragão, de 17 anos, complementou as palavras do pai, Renato. “Quero dar um recado muito importante: a juventude já é! Os jovem já estão mudando o mundo todo dia! Nós aprendemos a respeitar e a cuidar do meio ambiente, a respeitar as diferenças de raça, de gênero, ocupamos escolas quando percebemos que o ensino não é o que merecemos. A gente não precisa crescer pra dizer o que a gente quer. E o que a gente quer é educação de qualidade, é respeito às diferenças, é saúde para todos”. No fim do show, todos os convidados se juntaram ao grupo Sorriso Maroto e a Martinho da Vila para “Canta Canta, Minha Gente”.

X

Pin It on Pinterest

X