GfK encerra medição de audiência no Brasil e demite 149 funcionários

A GfK, concorrente do Ibope, que chegou ao país há dois anos, encerrou nesta quinta-feira (21) sua divisão de medição de audiência de TV e demitiu 149 funcionários somente desse setor.

Os demais departamentos da GfK, na área de pesquisas e varejo, por exemplo, continuarão ativos, segundo informa a assessoria do instituto.

O instituto alemão, que iniciou suas operações no Brasil no dia 1º de outubro de 2015, instalou cerca de 6.600 peoplemeters (medidores de audiência) pelo país, porém os números nunca foram divulgados oficialmente para a imprensa.

A GfK prometia resultados mais apurados e bem mais confiáveis que os do Ibope. Sua entrada no mercado foi patrocinada por Record, SBT e RedeTV!

Dois anos após iniciar a medição de audiência das TVs brasileiras, a empresa sucumbe a divergências justamente com seus três principais clientes.

As três TVs afirmam que a GfK jamais cumpriu com as cláusulas acertadas em contrato e exigem agora não apenas o dinheiro que já pagaram, mas também querem juros, correção e indenização por quebra contratual, além de danos materiais.

Somente em uma ação, a Justiça determinou que a GfK devolva R$ 28 milhões à Record imediatamente, conforme noticiou o site “Notícias da TV”.

No total, as ações movidas por Record, SBT e RedeTV! deverão superar os R$ 100 milhões, de acordo com o colunista Ricardo Feltrin, do portal “UOL”.

Pin It on Pinterest