FBI pode investigar Brad Pitt por agressão ao filho mais velho em jatinho

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Brad Pitt teria se exaltado e avançado no filho de 15 anos, Maddox, adotado em 2002, em um jatinho particular durante uma viagem de volta da França na quarta-feira (14). Agora, o FBI estuda a possibilidade de investigar o ator, segundo informações do site TMZ.

A informação de que ele teria agredido os seus filhos durante um voo privado, e que ele estaria sendo investigado por abusos verbais e físicos durante a viagem já havia saído na imprensa internacional. No entanto, agora o TMZ dá mais detalhes sobre a história.

Angelina Jolie entrou com pedido de divórcio nesta segunda-feira (19) declarando “diferenças irreconciliáveis”. Segundo o noticiário, pouco após o avião decolar, Brad e Angelina começaram a discutir e Maddox se levantou para defender verbalmente sua mãe.

Brad, então, teria pulado para cima do menino de forma agressiva, e em seguida, Angelina entrou no meio da confusão para tentar impedir o ex-marido. Fontes ligadas a Brad disseram ao TMZ que ele estava bêbado no momento do incidente.

Uma fonte da coluna Page Six, o jornal The New York Post, confirma que ele gritou com as crianças, mas nega que houve a agressão. “Ele nunca foi abusivo com as crianças. Ele gritou com uma delas no avião durante o voo, mas nunca bateu nela. Brad está negando que teve uma atitude inapropriada”, disse a fonte.

Já segundo uma fonte da People, Brad teria admitido ter tocado no filho durante a briga, mas foi enfático ao dizer que não o agrediu. “Estão usando mentiras para manipular e conseguir a guarda das crianças”, disse a fonte.

Brad Pitt está sob investigação pelo serviço social de Los Angeles e sendo avaliado pelo FBI. O FBI se manifestou através de um comunicado: “Em resposta à sua pergunta sobre alegações dentro da jurisdição de aviões especiais dos Estados Unidos; especificamente, um avião que transportava o Sr. Brad Pitt e seus filhos, o FBI continua a reunir fatos e a avaliar se uma investigação a nível federal será prosseguida”.