Cassia Kis: “Eu sou uma atriz intensa porque eu quero pisar num outro lugar”

Foto: Globo/Estevam Avellar
Foto: Globo/Estevam Avellar

Com essa frase do título, Cassia Kis resume um modo de trabalhar que diz muito das personagens às quais deu vida. Uma atriz que se despe das vaidades em favor dos seus papéis. No ‘Ofício em Cena’ da próxima terça-feira, dia 20, Cassia expõe suas fragilidades e sua força no processo de criação para interpretar mulheres intensas e marcantes. No momento em que recebe um novo trabalho, mesmo sem ter lido o roteiro ainda, já começa a imaginar e a viver, em detalhes, aquela pessoa. “Se eu pego num copo , eu digo assim: ‘Poxa, será que ela pega aqui, será que ela faz assim?’. São perguntas que te levam a encontrar um caminho, a chegar mais perto daquilo que você imagina. ‘Quero fazer essa história, por quê? Porque eu conheço esse personagem. Eu conheço esses sentimentos, essas emoções que estão em volta”, reflete.

Cássia Kis afirma que o fundamental é estar presente no que faz, deixando-se tomar pela história que vai ser contada. “Eu como atriz não preciso de nada, a não ser do meu corpo e da minha voz. Da minha cabeça boa, de uma boa condição. Preciso da minha vaidade, talvez como um instrumento para cuidar de mim, da minha cabeça e me fazer estar pronta para poder trabalhar”, garante a atriz.

Vaidade, aliás, é um assunto recorrente na carreira de Cassia, já que ela é lembrada muitas vezes como uma atriz que abre mão da aparência facilmente em prol dos personagens. É o caso da Dulce, de ‘Morde e Assopra’, que a fez usar uma prótese dentária, e da Djanira, de ‘A Regra do Jogo’, quando entrava em cena praticamente sem maquiagem. “São coisas que colaboram para contar a história do personagem. Em ‘Morte e Assopra’, eu queria contar a história da Dulce, uma mulher humilde. E entendemos que o universo dela era o de uma mulher muito simples, que trabalha, vive com o necessário do dia a dia e não tinha dinheiro sequer para ir ao dentista. Então, para contar essa história, achamos legal colocar uma prótese”, lembra. “Eu tenho certeza que estou na profissão mais bonita do mundo, o que implica ser a mais trabalhosa, a mais dura, que faz a gente ir para lugares que são muito difíceis e demanda mais sofrimento ainda do que a própria vida”, resume.

A entrevista de Cassia Kis ao ‘Ofício em Cena’ vai ao ar na próxima terça-feira, dia 20, às 23h30, na GloboNews.

X

Pin It on Pinterest

X