“Fantástico” alerta sobre médicos que oferecem cura para doenças sem aprovação científica

O repórter Álvaro Pereira Junior é o repórter responsável pela reportagem especial desse domingo, sobre médicos que prometem a cura de doenças. Foto: Divulgação/Globo
O repórter Álvaro Pereira Junior é o repórter responsável pela reportagem especial desse domingo, sobre médicos que prometem a cura de doenças. Foto: Divulgação/Globo

A reportagem especial do “Fantástico” desse domingo, dia 13, faz um alerta sobre o turismo de células-tronco que não para de crescer nos últimos tempos. Bilhões de dólares são investidos por pessoas que procuram clínicas particulares fora do Brasil em busca da cura para doenças como mal de Parkinson, esclerose múltipla, Alzheimer, lesões de medula, entre outras, sem aprovação e/ou evidência científica. Países como China, Índia e Tailândia ganharam fama nos últimos anos por receberem esse tipo de turismo. No meio científico, estima-se que existam hoje mais de 700 centros de tratamento que oferecem terapias celulares sem comprovação e, para muitos cientistas, esses pacientes estão viajando longas distâncias em busca de uma ilusão.

Só que agora, em vez de enfrentar um voo para a Ásia, tem pacientes indo bem mais perto, já que no Paraguai um médico brasileiro oferece a cura para uma lista grande de doenças. Seu negócio atrai tantos brasileiros que o site da clínica é todo em português. O “Fantástico” vai revelar que o dono do local foi condenado a 22 anos de prisão por ser mandante do sequestro de uma adolescente, filha do médico que o denunciou ao Conselho de Ética. Ele teve o CRM cassado, mas saiu da cadeia em 2008 e hoje atua como médico bem perto da fronteira.

Na semana em que os norte-americanos elegeram o republicano Donald Trump como o presidente dos próximos quatro anos, o “Fantástico” exibe trechos de um documentário que registrou 200 dias da sua campanha política. Ele mostra ainda a trajetória do eleito, desde a infância, passando pela adolescência de Trump e pelo enriquecimento de sua família.

Um ano depois do anúncio de “emergência em saúde”, feito pelo Ministério da Saúde em resposta aos crescentes casos de bebês com microcefalia no Nordeste, a revista eletrônica promove uma reflexão sobre a zika: O que a ciência conseguiu descobrir sobre o vírus e o desenvolvimento da microcefalia, ao longo deste ano? Quais as principais dúvidas que os cientistas ainda não conseguiram responder? Quais os caminhos para uma vacina? Pesquisadores revelam como os cientistas estão avançando pelo mundo e as famílias mostram como anda a perspectiva e evolução dos bebês com microcefalia, um ano depois do diagnóstico.

O “Fantástico” vai ao ar na noite de domingo, dia 13, logo após o “Domingão do Faustão”.

X

Pin It on Pinterest

X