Menina de 10 anos sonha em ser reconhecida pelo pai no último episódio de “Segredos de Justiça”

Foto: Divulgação/Globo
Foto: Divulgação/Globo

Vai ao ar domingo, no “Fantástico”, o último episódio da série “Segredos de Justiça”. E ela chega ao fim com uma emocionante história que envolve o destino da menina Jade (Paola Agualuza), de 10 anos, órfã de mãe e criada pelo avô materno, que sonha em conhecer o pai. A história começa há 10 anos, quando Tamara (Ana Julia Dorigon), mãe de Jade, seduz João (Guilherme Hamacek). Aos 16 anos, o jovem não resiste às suas investidas e, sem saber, se torna pai. Contrariando a vontade de seu pai, a mãe da menina o faz prometer que nunca vai procurar pelo pai da criança. Ela morre quando Jade tem apenas quatro anos e seu avô, Arlindo (Tonico Pereira), assume a responsabilidade sobre a neta.

Mesmo com dificuldade financeira para sustentar a criança, o avô, homem simples da roça, assume sozinho a criação da menina durante seis anos. Até que sustentar a menina fica pesado demais e faz ele quebrar a promessa feita à filha antes da sua morte e recorrer à Justiça pedindo que o pai assuma as suas responsabilidades. Com a idade avançada, Seu Arlindo não consegue mais trabalhar como antes na enxada no campo. Chega ao Tribunal quase constrangido e diz à juíza: “A senhora me desculpa estar aqui tomando seu tempo, eu só estou aqui por causa dela”. Ansiosa, Jade usa um vestido rosa de festa, que não condiz com a situação. A menina não vê a hora de conhecer o pai. “Eu era viúvo, tinha quase 70 anos, e logo que perdi minha filha descobri que tinha que ser pai de outra. Fui eu quem criou a Jade. Fiz o que pude pela minha neta. Trabalhava o dia todo, tirava o mínimo para sustentar a pequena. Nunca deixei faltar nada, doutora, nunca. O duro é que de uns tempos pra cá a situação apertou, eu já não tenho idade para trabalhar tanto”.

E foi só quando começou a faltar comida, que Seu Arlindo deu entrada no processo de investigação de paternidade. Com o resultado positivo nas mãos, o próximo passo é ficar frente a frente com o pai da menina – que até então, sequer sabia da sua existência. Só que João também é muito jovem. Aos 26 anos, está recém-casado, com a esposa grávida e teme pela transformação que uma filha causará na sua vida. Apesar de aceitar registrar a menina e pagar a pensão, resiste à ideia de conhecê-la. Enquanto o rapaz digere a novidade, a menina ansiosa, pergunta ao avô que horas vai conhecer o pai. Será que a juíza conseguirá convencê-lo do quanto essa relação é importante para a garota? Baseada no livro “A Vida não é justa” da juíza Andréa Pachá, a série tem direção artística de Rafael Dragaud e direção de Pedro Peregrino.

A pouco mais de um mês para o Natal, o programa dessa semana mostra que o espírito de solidariedade já se faz presente. Preocupada que os idosos do asilo onde trabalha ficassem sem presentes no Natal, uma enfermeira de Luziânia, a 230 quilômetros de Goiânia, mobilizou a internet. Com o celular, ela tirou fotos dos velhinhos segurando um quadro negro onde estava escrito que presente eles gostariam de ganhar no fim do ano. Coisas simples, como um chinelo, uma boneca e até uma garrafa de água. Uma vez nas redes, as fotos já tiveram mais de 700 mil visualizações, centenas de comentários e compartilhamentos. O telefone da instituição não para de tocar e o asilo, que é filantrópico e se sustenta com doações, já recebeu contato de pessoas até do Canadá.

O “Fantástico” traz ainda um documento inédito feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), com 50 normas sobre como crianças e adolescentes devem lidar com a internet. Voltado para pais, pediatras e educadores, o documento traz regras práticas como, por exemplo, deixar que crianças de 2 a 5 anos fiquem só uma hora por dia no computador ou similares e não permitir que crianças de 0 a 10 anos usem computador ou televisão em seus próprios quartos. É a primeira vez que normas desse tipo são editadas no Brasil e especialmente adaptadas para a realidade do nosso país.

E por falar em internet, o programa promove uma discussão sobre boas maneiras em grupos de mensagens pelo celular. Com a popularização dos smartphones, hoje todas pessoas participam de diversos grupos: da escola, da família, dos amigos do futebol. E, entre os usuários, há sempre os que lotam as nossas caixas com mensagens que não interessam à maioria. Com a ajuda de consultores em redes sociais, o “Fantástico” desenvolveu um teste para avaliar “quem é você nas redes sociais?” e falará sobre as regras de boas maneiras nesse universo.

O “Fantástico” vai ao ar aos domingos após o “Domingão do Faustão”.

X

Pin It on Pinterest

X