Cena de sexo gay de “Liberdade, Liberdade” levou duas horas para ser gravada

Foto: Raphael Dias/Globo
Foto: Raphael Dias/Globo

A cena de sexo entre André (Caio Blat) e Tolentino (Ricardo Pereira), na novela “Liberdade, Liberdade”, da Globo, foi gravada na terça-feira (28) e ainda não foi editada. Silvio de Abreu, chefão da dramaturgia da Globo, vai ver a cena antes de ir ao ar. Os dois atores gravaram com o bumbum de fora e se beijaram para valer na sequência.

Segundo a colunista Carla Bittencourt, a transa entre os dois homens deve mostrar menos nudez do que nas cenas desse tipo que já apareceram na própria novela porque a ordem é não chocar. O diretor Vinícius Coimbra pediu que poucas pessoas estivessem no estúdio, prática que ele adota sempre que grava uma cena mais complexa. A gravação demorou cerca de duas horas e os dois atores saíram aplaudidos e emocionados.

Na sequência, o clima começa quando o coronel, um pouco embriagado, está reclamando sobre o modo como Rubião (Mateus Solano) o trata. Eles começam a falar sobre amizade e pinta um clima. André abraça Tolentino, que corresponde. Há um clima e olhos nos olhos. André aproxima o rosto para um beijo. Tolentino vira o rosto, recusando a princípio, atormentado, mas por fim não resiste. “É um beijo represado, afoito, desesperado, angustiado”, diz o capítulo entregue aos atores. Tolentino tira a camisa e André engole em seco. O coronel o empurra para a cama e André cai sentado. Os dois começam a transar. “Na transa urgente, adiada, bruta e tão ansiada”, diz o texto. A cena está prevista para ser exibida na próxima terça-feira (12).

X

Pin It on Pinterest

X